Sunday, August 20, 2006

A ÉTICA COMO PRÍNCIPIO DA EDUCAÇÃO

UNEB –Universidade do Estado da Bahia
Curso: Letras – VII Semestre
Disciplina: Política Educacional
Professora: Patrícia Magris
Aluna: Sarah Gisele.

A ÉTICA COMO PRÍNCIPIO DA EDUCAÇÃO

As instituições escolares vêem sendo pressionadas a repensar seu papel diante das transformações que ocorrem na sociedade, transformações estas que ocorrem em escala mundial, decorrentes de um conjunto de acontecimentos e processos, como: novos paradigmas produtivos, revolução tecnológica, exclusão social, crise moral e ética e despolitização da sociedade. Diante destes desafios qual e o papel da escola hoje? Qual papel dos professores e como proceder na gestão desta escola?
Muito se tem falado e escrito sobre a responsabilidade ética do processo de ensino-aprendizagem, de como a escola deve ter por objetivo a construção de cidadãos participativos e conscientes, isto é, indivíduos responsáveis e solidários com a comunidade e autônomos intelectualmente. Entretanto, mais e mais jovens estão saindo das escolas sem um sentimento de pertença à comunidade e à natureza e, também, sem possuir autonomia intelectual para a resolução de problemas cognitivos e práticos, além de não possuírem autonomia moral para fundamentar racionalmente sua moralidade.
Assim, com o intuito de estabelecer a ética na educação, o autor Roque Spencer Maciel de Barros[1], propõe quatro princípios básicos (cidadania, democracia, solidariedade e autonomia) com a finalidade de compreender os fundamentos e os objetivos da educação, muitas vezes deixados de lado pelas leis educacionais.
O primeiro deles é a cidadania, pois a escola deve possibilitar que o educando se entenda enquanto cidadão, isto é, como um indivíduo que deve participar da esfera pública de forma ativa e responsável. Outro principio é a democracia, em que a escola deve implementar tal princípio com o intuito de desenvolver uma sociedade mais justa e igualitária, uma pedagogia crítica que possa construir, modificar e transformar a realidade escolar, uma vez que a utilização de um projeto democrático nas escolas está associado à idéia de emancipação que conjuga liberdade com bem estar social dos educando. Pode ser citado ainda o princípio da solidariedade em que propõe que a escola deva contribuir por uma responsabilidade solidária com a Comunidade (o próximo) e com a Natureza por parte de seus membros. E por último a autonomia na qual contribui para que os indivíduos tornem-se autônomos, intelectualmente e moralmente, isto é, que saibam resolver problemas através do pensamento racional e assumam seu dever para com os outros em sociedade.
Diante de tais princípios, deve ser proporcionado pela educação meios necessários para compreender o contexto sócio-histórico o qual os educandos estão inseridos, fornecendo-lhes ferramentas suficientes para lhes garantirem um espaço adequado diante dessa sociedade tão competitiva a que pertencem.
É importante ressaltar ainda que os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN’s – também priorizam a ética como principio fundamental para a educação:
Na escola, o tema ética encontra-se, em primeiro lugar, nas próprias relações entre os agentes que constituem essa instituição: alunos, professores, funcionários e pais. Em segundo lugar, o tema Ética encontra-se nas disciplinas do currículo, uma vez que, sabe-se, o conhecimento não é neutro, nem impermeável a valores de todo tipo. (2001, p. 32)[2]

Nesse sentindo, a ética deve ser um dos princípio básicos que deve ser trabalhado na escola, tão fundamental quanto ler e escrever, pois é dela que depende, na maioria das vezes, a formação do indivíduo, e não deve ser vista apenas como uma disciplina qualquer do currículo, pelo contrário, deve ser uma questão trabalhada por todas as disciplinas através de seu caráter transversal que possui, aliás característica dada pelo próprio PCN a ética.
Portanto, é preciso oferecer um modelo educacional que priorize a questão da ética, estabelecendo parâmetros educacionais preocupados com interdisciplinaridade multicultural dos alunos, que também discuta questões como sexualidade, meio ambiente e dignidade, permitindo aos educandos a terem consciência de seu papel perante a sociedade.

[1]BARROS, Roque Spencer Manuel de. Fundamentos da Educação, Cap.: 1. In: MENESES, João Gualberto de Carvalho(org). Estrutura e Funcionamento da Educação Básica – Leituras. 1ª ed. São Paulo, Pioneira, 1998.

[2] Parâmetros curriculares nacionais dos temas transversais: ética / 3. ed., vol. 8 – Brasília: A Secretaria, 2001. REFERÊNCIAS:
Disponível em: http://www.sinpro-rs.org.br/paginasPessoais/layout1/. Acesso em: 12 de agosto de 2006.
Disponível em: http://www.anped.org.br/ . Acesso em: 14 de agosto de 2006.
Disponível em:

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home