Tuesday, August 22, 2006

PDE - PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA

PDE - PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA
Sandra Maria Sousa e Silva *

A Secretaria de Educação (SEC) vem concentrando esforços em ações que visam a melhoria, a qualidade da educação pública, expressa através de um futuro promissor dos alunos. Com esse propósito, as unidades escolares da rede pública de ensino, vivem a experiências de elaborar, de forma participativa, o Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE), plano este, financiado pelo Banco Mundial (BIRD), através do Projeto de Educação do Estado da Bahia – Projeto Bahia.
Elaborado coletivamente por vice – diretores, coordenadores, professores, funcionários, alunos, pais de alunos, voluntários e parceiros, sob a liderança do diretor escolar, o PDE é um documento que reflete intenções, objetivos, metas e ações da escola, visando transformar a sua realidade noutra desejada.
Os órgãos públicos da administração da educação de diferentes sistemas de ensino conceituam o PDE, tendo como base os princípios e a metodologia do Planejamento Estratégico; este por sua vez, começa pela fase do diagnóstico, na qual são coletados dados e informações sobre o funcionamento da escola, em seus diferentes aspectos e desempenho. Um segundo aspecto considerado é o Planejamento Participativo, como o próprio nome indica, prioriza o processo no qual a participação dos atores é que vai garantir sua legitimidade e implantação. Assim sendo, a secretaria de Educação da Bahia, define que o Plano de Desenvolvimento da Escola – PDE “ é um processo gerencial de planejamento estratégico, desenvolvido pela escola de forma participativa, visando a melhoria da qualidade de ensino”. (Home Page da SEC/BA,Abril de 2000)
É notório que o PDE é um documento de extrema importância em uma escola, pois, uma vez elaborado, permite à unidade escolar um melhor conhecimento de seus problemas, das causas que os geram e de como tomar medidas para bloqueá-las. Mas, nem sempre o seu processo de elaboração acontece com deveria, ou seja, o planejamento estratégico não tem uma total participação dos envolvidos no processo. Nesse contexto, é muito freqüente um PDE surgir da cópia do outro, ou um diretor, professor ou especialista trabalhar sozinho na elaboração do documento. Sob esse aspecto, os planejamentos não têm tanta utilidade, visto que as idéias “copiadas” não refletem a realidade da escola em debate, conseqüentemente, essas idéias acabam não sendo implantadas.
Em se tratando dos recursos financeiros, disponibilizados a cada unidade escolar para implantação e desenvolvimento das ações estabelecidas por ocasião da elaboração do PDE, faz-se necessário destacar que, em muitas escolas, as verbas recebidas não cumprem sua função verdadeira função que é de melhorar a qualidade do ensino, o que faz do documento um instrumento meramente técnico e burocrático uma vez que a sua finalidade passa ser exclusiva de se angariar bens materiais para a Unidade Escola passando despercebidas as ações, objetivos e metas propostas por seus idealizadores.

Referências Bibliográficas

- Bahia, Secretaria da Educação
PDE – Orientação para Implantação e Implementação
Salvador: Secretaria da Educação, 2000
- Bahia, Secretaria da Educação
Gerenciando a Escola Eficaz
Salvador: Secretaria da Educação, 2004
- Bahia, Secretaria da Educação
Orientações para a execução financeira dos recursos destinados à implementação do PDE – 2003 – 2006
Salvador: Secretaria da Educação, 2003


* Graduanda do VII Semestre do Curso de Letras, Turno Vespertino, Campus XX, UNEB

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home