Monday, August 21, 2006

GESTÃO ESCOLAR

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA-UNEB
DEPARATAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS-DCHT
CAMPUS: XX BRUMADO-BA
DISCIPLINA: PLANOS E POLÍTICAS EDUCACIONAIS
PROFESSORA: PATRÍCIA MAGRIS
ALUNA (a): AMINIE MINE SOUZA LEITE SEMESTRE: VII VESPRTINO
GESTÃO ESCOLAR

Tema bastante discutido atualmente, nos faz refletir sobre a atuação dos gestores, profissionais tão importantes para o funcionamento das escolas em nosso país. Muitos são os modelos e práticas adotadas por esses profissionais para gerenciarem as instituições as quais lhes foram confiadas, esses modelos e práticas de gestão, bem como o envolvimento do gestor no processo pedagógico nos fazem atentar, de que a escola não precisa de um chefe ou burocrata, mas precisa e muito de um colaborador, alguém que, embora tenha atribuições, compromissos e responsabilidades diante da administração da instituição, não fique atrelado apenas ao seu poder e rigidez (autoritário muitas vezes). O diretor da escola deve exerce três funções básicas: o de autoridade escolar, o de educador e o de administrador. Sendo autoridade, é responsável por toda a escola, é ele quem a representa em todas as ocasiões. Sendo educador deve estar sempre atento às suas decisões, pois, elas vão influenciar a ação educativa dentro de sua escola. O administrador, planeja, organiza e avalia os trabalhos realizados dentro da instituição. Sua autoridade deve ser baseada numa liderança democrática, pois deve preocupar-se em expor suas decisões, ouvir opiniões antes de colocá-las em prática. Diante de tais responsabilidades, podemos nos perguntar: Os diretores participam do processo pedagógico da escola onde atuam? De que maneira ele se relaciona no processo pedagógico da escola e com seus professores?
Percebemos que essas perguntas inquietantes muitas vezes nos mostram que certos diretores não são capacitados para se inserirem no processo pedagógico , pois, estão assumindo cargo político, sendo que, deveriam ter sido escolhidos democraticamente pela comunidade escolar ( pais ,alunos, professores e funcionários). Vemos também, que muitos “gestores” não se integram à escola da qual fazem parte, apenas impõem ordens sem querer ser contrariado exercendo sua função com autoritarismo, não com autoridade deixado toda a responsabilidade pedagógica a cargo dos professores.
Um bom gestor deve conduzir a instituição onde está inserido a conseguir alcançar seus objetivos. E para se alcançar tais metas de forma eficiente, são necessárias a participação e colaboração de todos os membros da escola na tomada de decisões, sendo nessa ocasião um líder não um ditador. Uma boa administração escolar é aquela que se integra às atividades da escola tornando-se parte do todo e não uma parte isolada. O diretor, além de administrar e gerenciar as inúmeras demandas da instituição, também terá que trabalhar na construção de uma equipe colaborativa de trabalho, incentivando a participação de todos, incluindo a comunidade, pais e alunos na reflexão, nos rumos e na identidade da escola. Muitos gestores formam essas equipes de trabalho coletivo para que toda a escola alcance o sucesso. Esse tipo de gestão é conhecida como co-gestão.
Segundo Dinair Hora” A participação não ocorrerá espontaneamente. No âmbito escolar, é necessário que ela seja provocada, vivida e aprendida por todos que pertencem à comunidade escolar.”
Para que haja essa liderança participativa são necessários quatro aspectos básicos: apoio, ênfase no objetivo, facilitação do trabalho e facilitação e interação. O apoio deve ser um comportamento que contribua para que o subordinado se sinta valioso e importante dentro da instituição. Dando ênfase aos objetivos estimula-se o entusiasmo em realizar o trabalho e produzir resultados. Na facilitação dos trabalhos, removem-se os obstáculos e desvios permitindo que os funcionários produzam resultados e por último a facilitação e interação que viabiliza a transformação dos funcionários em uma equipe de trabalho. Essa comunidade escolar deve ter consciência da importância de sua atuação para melhoria do processo. Argumenta-se que um bom estilo de trabalho na escola é aquele que combina a preocupação com a produção e com as pessoas. A gestão democrática tem apoio da legislação vigente, visto que essa forma de administrar tem condições de fazer com que a educação brasileira tome um novo e verdadeiro caminho.
Além da co-gestão temos, temos outra forma de administrar, a auto-gestão, que embora seja fascinante é apenas uma idéia que permanece no papel, pois a comunidade escolar ainda não tem o discernimento necessário para trabalhar dessa forma. Sendo assim entendemos que a co-gestão é a melhor forma para administrar uma escola e que o gestor escolar é responsável pelos aspectos administrativos, pedagógico e relacional, e, portanto co-participe no sucesso ou insucesso dos resultados obtidos pela unidade escolar.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home