Sunday, August 20, 2006

GESTÃO DA ESCOLA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS
CAMPUS XX – BRUMADO/ VII SEMESTRE - NOTURNO
DISCIPLINA: POLÍTICA EDUCACIONAL
PROFESSORA: PATRÍCIA MAGRIS

ALUNA: CATARINA ALVES MARINHO



GESTÃO DA ESCOLA


Ultimamente, a teoria da administração entrou em crise. Os teóricos não foram capazes de determinar um conceito satisfatório para o ato de administrar, chegando à conclusão de que ninguém gosta de obedecer a ordens e que não se pode estar ao mesmo tempo submisso e satisfeito. Com isso, foi posto em xeque o conceito de autoridade, fator determinante na administração. A teoria da administração passou a sofrer críticas e ataques passando a buscar soluções alternativas para um conceito mais abrangente que descrevesse administração com suas qualidades, porém sem o requisito autoridade, surgindo daí o conceito Gestão.
O significado da palavra gestão consiste na condução dos destinos de um empreendimento levando-o a alcançar seus objetivos, trabalhando sempre em grupos integrados. A fim de melhorar esse entendimento, a Gestão Escolar foi classificada em três áreas de funcionamento: gestão pedagógica, gestão de recursos humanos e gestão administrativa.
A Gestão Pedagógica é a mais significativa, ela cuida de gerir a área educativa, estabelecendo objetivos e metas para os ensinos gerais e específicos. É a gestão pedagógica que define as linhas de atuação, em função do objetivo e do perfil do educando. É ela que elabora os conteúdos curriculares, acompanha na avaliação dos alunos, analisa o rendimento das propostas pedagógicas e dos objetivos e cumpre as metas, avaliando também o corpo docente e a equipe escolar como um todo.
A Gestão de Recursos Humanos, não menos importante que a Gestão Pedagógica, é responsável pelo pessoal (alunos, equipe escolar, comunidade, etc). Ela constitui a parte mais delicada de toda a gestão, pois lidar com pessoas e mantê-las trabalhando satisfeitas, contornando problemas de relacionamento humano, fazem da gestão de recursos humanos um termômetro em termos de fracasso ou sucesso no âmbito do estabelecimento educacional.
A Gestão Administrativa, na taxionomia largamente difundida, compreende as atividades de planejamento, organização, coordenação e controle; é um setor extremamente necessário, diria que imprescindível para qualquer instituição, seja ela educacional ou não, compete à gestão administrativa cuidar da parte física e da parte institucional da entidade. Na administração escolar suas especificidades estão no Plano Escolar (PPP - Projeto Político Pedagógico) e no Regimento Escolar.
A preocupação principal da gestão é com a participação de todos os envolvidos no processo, cuja preocupação decorre de valores democráticos que incidem da idéia de que a sociedade ou as coletividades menores (empresas ou escolas) são pluralistas, ou seja, são formadas de pessoas e grupos heterogêneos que necessitam que suas opiniões sejam valorizadas.
Existe também a co-gestão e a autogestão: a co-gestão baseia no princípio da participação administrativa que implica co-decisão em determinadas matérias e direito de consulta em outras. Na co-gestão o administrador já não é o único responsável pelas decisões, pois estas somente são consideradas legítimas quando tomadas com a colaboração dos demais participantes, ou seja, a autonomia é dividida entre todos os integrantes do processo.
A idéia de autogestão é fascinante, consiste na anarquia em seu sentido legítimo de ausência de autoridade sem que isso signifique ausência de ordem. Na forma de autogestão, as pessoas atuam com autonomia e procuram contribuir para o bom andamento dos trabalhos, agindo por convicção e não por obediência a alguma autoridade. O problema da autogestão é que não pode ser um ponto de partida, ela exige uma preparação em longo prazo, por isso, até hoje não se conhece uma experiência bem-sucedida e duradoura de autogestão.
Apesar das alternativas propostas, a Gestão com suas características e formas, é a maneira mais coerente de empreendimento humano no que diz respeito à educação escolar. A gestão é uma implementação de políticas educacionais, na medida em que se deseja uma escola que atenda às atuais exigências da vida social, consiste no ato de formar cidadãos, com competências e habilidades necessárias e facilitadoras da inserção social.
Num processo desse tipo, o que se pode esperar é que o aluno aprenda a ser livre, sabendo respeitar e se fazendo respeitar, que aprenda a pensar com autonomia, a ser sincero, a ser capaz de amar e ser amado, que possa lutar pela promoção da pessoa humana, que possa criar uma consciência crítica e autocrítica, que saiba se expressar e ser justo e que venha a possuir uma cultura verdadeira.




REFERÊNCIAS:


DIAS, José Augusto. Sistema Escolar Brasileiro. Cap. V. In MENEZES, J. G. de C. et al. Estrutura e funcionamento da educação básica: leituras. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001.


GADOTTI, Moacir.
Concepção dialética da educação. 8ª ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1992.


XIMENES, Sérgio. 1954 –
Minidicionário da Língua Portuguesa – 2ª ed. reform. - São Pulo – Ediouro, 2000.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home