Monday, August 21, 2006

FORMAÇÃO DO PROFESSOR - Ionete Meira Silva Amorim

FORMAÇÃO DO PROFESSOR
Ionete Meira Silva Amorim*


A escola enquanto instituição existe em quase todas as sociedades. Trata se de uma instituição responsável por educar indivíduos, que precisam de especialistas para adaptar-se á sociedade. Tal processo educativo está sujeito à avaliação e sanção dos especialistas responsáveis. Desse modo, a escola deve ser entendida como uma instituição de aprendizagem formal, oferecendo conteúdos organizados e formas apropriadas de socialização para que o aluno venha a atuar conscientemente e provoque mudança na sua realidade. E uma dessas formas é procurar introduzir novas características ás práticas escolares, de modo que indiquem uma nova qualidade de ensino.
Como conseqüência da difusão dos ideais de liberdade e igualdade foi dado o direito de acesso à educação às classes populares. Entretanto, uma prática educativa eficiente requer muito mais do que simplesmente permitir ao individuo freqüentar a escola, garantindo-lhe participação total em suas atividades. O único meio de acesso dessas pessoas ao conhecimento elaborado parece ser por intermédio dos bancos escolares, acarretando problemas cuja solução requer redobrados esforços por parte dos responsáveis pelo ensino, especialmente dos professores.
A democratização da escola, ainda que imperfeita, trouxe outra clientela e com ela as variedades sociais, lingüísticas e culturais bastante acentuadas. Uma das condições em que se verificam diferenças sociais bem marcantes é justamente na sala de aula, onde há conflitos em termos de idade, nível educacional e nível sócio-econômico.
Assim sendo, muitas são as dificuldades com que se deparam os professores, hoje, em termos de educação. A eles são atribuídas classes com número elevado de alunos iniciantes, e esses alunos não apresentam requisitos tais como: boa alimentação, apoio da família, tempo disponíveis para estudo, considerados como componentes que facilitam o rendimento escolar.
Podemos perceber que não se trata de um processo isento de problemas. Existem questões e discussões que permeiam a educação e que não podem ser negadas.
Entre estas questões está a discussão sobre a qualidade do ensino oferecido pelas instituições educacionais, principalmente as que compõem o sistema público de ensino.
A qualidade do ensino é uma questão sempre muito discutida. O que se considera como ensino de qualidade pode ser muito variado, sendo avaliado pelo autoritarismo do professor, pela quantidade de conteúdo ensinado, pela diversidade da grade curricular.
Sabemos que uma porcentagem expressiva de professores nas diferentes regiões do país não possui escolaridade mínima de segundo grau, necessária para que atue como professor. Por outro lado, e simultaneamente, a própria formação em nível de segundo grau não prepara o professor para a heterogeneidade social e cultural que irá encontrar e enfrentar na escola: em outras palavras, o curso normal não o qualifica, ou seja, o professor ao chegar à escola nem dispõe de uma visão teórica abrangente sobre a prática pedagógica, nem conhece a prática da escola e sua prática concreta.
Cabe enfatizar que o exercício desse papel profissional é determinado por uma série de fatores que passam pela formação escolar desse professor, pelas suas condições objetivas de trabalho (inclusive salariais e trabalhistas) e pelas formas com que a escola concreta em que atua assume, junto com ele, a tarefa de ensinar e educar, fornecendo-lhe o apoio administrativo e pedagógico necessário. Quanto a este último aspecto, é de fundamental importância a formação em serviço, permanente, continuada.
Quando o professor entende que a educação é uma prática social com nítida função política, compreende também a necessidade de desempenhá-la competentemente tentando superar os fatores desfavoráveis intrínsecos decorrentes do mau funcionamento da escola e extrínsecos pelas restrições da família, condicionada a problemas sócio-econômicos, esses professores podem, possivelmente, fazer um trabalho adequado, desempenhando bem as suas funções como um dos requisitos que determinam à boa qualidade do ensino.



* Aluna do curso de Letras da UNEB- Campus XX- Brumado – Bahia. VII Semestre-Turno: vespertino-2006.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home