Wednesday, August 23, 2006

avaliaçao de Maria da Gloria Oliveira Soares

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLOGIAS – DCHT
CAMPOS XX – BRUMADO
CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM LETRAS
VII SEMESTRE – NOTURNO
DISCIPLINA – POLÍTICA EDUCACIONAL
DOCENTE – PATRICIA MAGRIS
DISCENTE – MARIA DA GLORIA OLIVEIRA SOARES




PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA (PDE)



Os órgãos públicos da administração da educação de diferentes sistemas de ensino buscaram conceituar o PDE, tendo como base os princípios e a metodologia do Planejamento Estratégico.
Em linhas gerais, o PDE (Plano de Desenvolvimento da Escola) é conceituado como um documento que norteia o fazer pedagógico e administrativo, refletindo intenções, objetivos, metas e ações, visando transformar a realidade escolar existente na desejada, sendo construído com a participação de toda comunidade escolar, envolvendo ações sistematizadas, que refletem as prioridades e demandas de todos os envolvidos no processo.
O plano de desenvolvimento da escola (PDE), é financiado pelo Banco Mundial (BIRD) e o montante de recursos que cada unidade escolar receberá é calculado com base no número de alunos matriculados e regularmente freqüentes e no tipo de ensino oferecido.
Essa autonomia dada às escolas de administrar as verbas provenientes do PDE, aplicando-as da forma que achar mais conveniente é um grande avanço no sistema educacional e se bem gerenciadas, haverá maiores possibilidades de se oferecer ensino de qualidade.
Na realidade escolar, o diretor e sua equipe estão sempre intervindo na realidade. O cotidiano escolar está sempre apresentando situações que exigem respostas imediatas e que colocam o diretor numa posição reativa, improvisando ações e soluções. Essa situação enfrentada pelos dirigentes escolares, somada aos indicadores educacionais da baixa qualidade de ensino das escolas públicas, levaram as secretarias a investir recursos e esforços na mudança dos parâmetros gerenciais da escola.
Os princípios e a metodologia do Planejamento Estratégico foram vistos como os mais adequados para uma gestão compromissada com o desenvolvimento de processos e estratégias coletivas voltados para a mudança dos resultados.
O PDE é um processo segundo o qual, a partir de um diagnóstico situacional, a unidade escolar orienta as sua ações, articulando-se á missão, visão, valores objetivos e metas estabelecidas pela equipe escolar.
Na metodologia do Planejamento Estratégico, o plano começa pela fase do diagnóstico, no qual são coletados dados e informações sobre o funcionamento da escola, em seus diferentes aspectos e desempenho. Cada escola buscará dados adequados a um melhor conhecimento de seus problemas, das causas que o geram e de como tomar medidas para bloqueá-los.
Embora muitos problemas como a repetência a evasão, a defasagem idade série e outros sejam comuns nas diversas unidades escolares, não é aconselhável a reprodução do mesmo de uma escola para outra. É necessário, antes de tudo, que seja feita uma análise criteriosa da realidade vivenciada na escola, pois cada uma tem a sua realidade própria, devendo ser respeitada para que se alcance o sucesso desejado.
O próximo passo é a definição da missão da escola que é de suma importância e se constitui em um dos momentos mais importantes na elaboração do PDE. A missão refere-se ao papel desempenhado pela escola na sociedade.
No Planejamento Estratégico a determinação da visão define o que a escola quer ser no futuro.
Os valores a serem perseguidos na escola se referem a atitudes, comportamentos, hábitos e regras que a escola deve explicitar, praticar e levar a sério.
Delineada a missão e a visão da escola e com os dados do diagnóstico, formula-se os objetivos estratégicos que devem refletir os resultados finais que a escola espera alcançar em cada área, dentro de um período de tempo estabelecido no plano. Logo após, são traçadas as metas que são desdobramentos dos objetivos e responde à questão: Quais as ações a curto prazo, que são necessárias para atingirmos cada objetivo estratégico?
Cada meta tem um plano de ação. Cada plano deve conter ações a serem desenvolvidas; período de realização; responsável; resultado esperado; indicador que serão usados para verificar o cumprimento de cada meta; custo de capital ou de custeio; conforme o caso; quem financia.
A avaliação, está estreitamente vinculada a todo o processo de planejamento, ocorrendo em três momentos: antes da execução, durante a sua execução e após a sua execução.
De preferência a cada semestre e no mínimo a cada ano, as metas do PDE devem ser avaliadas e medidas corretivas tomadas para ajustar metas, atividades e resultados, podendo as metas atingidas serem substituídas por novas metas.
Na elaboração do PDE, a questão da participação da comunidade escolar é considerada condição fundamental para garantir a execução das propostas. Porém, sabemos que na prática, nem sempre se dá dessa forma. Muitas vezes ele é construído apenas pelo diretor, vices e coordenadores e até mesmo por pessoas estranhas que comercializam a elaboração de tais documentos, apenas para constatar quando solicitado pelo órgão competente, sendo às vezes engavetado, negando assim a sua verdadeira função: transformar a realidade escolar, buscando a qualidade do ensino, possibilitando o sucesso do aluno no processo ensino-aprendizagem.
Em muitas escolas, as verbas provenientes do PDE utilizadas para compra de materiais e equipamentos que deveriam possibilitar a execução das propostas, muitas vezes não cumprem essa função, em decorrência do não uso ou uso inadequado dos mesmos, como é o caso dos recursos tecnológicos que muitos profissionais da educação não dominam as técnicas de manejo. Em muitos casos, a elaboração do PDE tem apenas a finalidade de se adquirir bens materiais para a escola, não se dando a devida atenção à execução das ações propostas.
A questão da avaliação do PDE também é um tanto polêmica, pois nem sempre acontece como deveria: antes, durante e depois da sua execução.
Apesar do empenho de algumas escolas em alcançar as metas preestabelecidas, muitos obstáculos impedem que o êxito seja total, pois o mesmo depende do desempenho de um grupo muitas vezes constituído por alguns que não assumem responsabilidades deixando de cumprir o papel que lhe é atribuído.
É necessário que o grupo de elaboração do PDE tenha consciência do valor do mesmo, elaborando-o dentro das normas estabelecidas, atuando em todos os momentos, esgotando todas as possibilidades para sua efetiva realização.





REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


. Bahia, Secretaria da Educação
PDE – Orientação para Implantação e Implementação
Salvador: Secretaria da Educação, 2000.

. Bahia, Secretaria da Educação
Gerenciando a Escola Eficaz
Salvador: Secretaria da Educação, 2004.

. Bahia, Secretaria da Educação
Orientações para a execução financeira dos recursos destinados à implementação do
PDE 2003 – 2006
Salvador: Secretaria da Educação, 2003.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home