Sunday, August 20, 2006

As várias faces de um PDE

Universidade do Estado da Bahia – UNEB
Departamento de Ciências Humanas e Tecnológicas - DCHT
Campus XX – Brumado VII Semestre Noturno
Disciplina – Política Educacional
Professora – Patrícia Magres
Aluna – Vera Lúcia Araújo Lima




As várias faces de um PDE



O plano de desenvolvimento escolar (PDE) é um instrumento dentro do processo gerencial da unidade escolar, que veio para facilitar e agilizar as ações da direção. No início do ano letivo, a direção juntamente com o Conselho Deliberativo, estabelece quais são as prioridades da escola e qual a previsão orçamentária das ações que desenvolverá.

Esse plano nasceu com a abertura da escola à comunidade, através da Gestão Democrática. Tudo isso começou a ser discutido nos anos de 1988 e 89, mas só foi colocado em prática mesmo a partir de 1995.

Essas ações na prática são cursos de capacitação para professores, coordenadores e diretores; equipamentos e materiais pedagógicos e de informática (computador, impressora, etc.); material de trabalho e reformas. Enfim, as prioridades para o ano decorrente ao PDE.

Como se sabe o PDE tem suas propostas que são elencadas de modo a atender especificamente cada meta, seguindo sempre a mesma linha de atuação: identifica os problemas, aponta meios para tentar solucioná-los e, por fim, propõe a elaboração de um relatório que mostre os resultados obtidos.

Todas estas propostas foram apontadas devido ao fato de se ter constado que a realidade escolar enfrenta dificuldades que comprometem o aprendizado dos educandos, dentre elas são mencionados: o alto índice de reprovação, principalmente nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, a indisciplina dos alunos, o acompanhamento deficiente dos pais, a não-viabilização de recursos para a organização e execução de projetos e a carência de oficinas pedagógicas para atender às necessidades do corpo docente.

Existem também regras na elaboração do PDE, a equipe deve direcionar no mínimo 40% do recurso para os processos pedagógicos, valorizando uma das partes mais importantes no processo de ensino-aprendizagem: o professor. Ele precisa estar bem preparado para lecionar. Não adianta quadra de esporte se não temos um bom professor de educação física. Sala de aula bonita, se o educador não tem domínio do conteúdo ministrado. O aluno não se prende apenas na beleza ou conforto, ele quer e deve ir para a escola para aprender. Se isso não acontece, ele não se sente motivado a estudar.

Depois de conceituar e elencar as ações e regras desse plano como um todo, vamos agora nos ater ao PDE do Centro Municipal Agamenon Santana, que foi estudado, e constatado que os seus objetivos visam uma proposta de educação inclusiva condizente com a realidade da qual a escola faz parte.

O que se pode ressaltar aqui é que essa escola vem aumentando significativamente o número de aluno em seus 23 anos de existência, mas a verba destinada a essa instituição continua sendo há mais de onze anos de dez mil reais. Como se pode percebe a gestão dessa escola tem que fazer malabarismo para poder cumprir com as ações e regras propostas pelo PDE.

Por isso, muitas dessas metas acabam não sendo alcançadas, por falta do recurso financeiro que é incompatível com a estrutura dessa escola – 1200 alunos e um quadro de 57 professores, secretários, serventes, merendeiras e vigilantes.

Sendo que, esses recursos financeiros que cada unidade escolar recebe para a execução do PDE são calculados com base no número de alunos matriculados e regularmente freqüentes, considerando ainda a modalidade de ensino oferecida pela instituição. Sabendo-se que o número de alunos dessa referida unidade de ensino cresce sempre, ano após ano (consequentemente o número de professores), de dez salas elevou-se para quatorze, pois a procura por vagas é muito grande, tendo que aumentar o número de alunos por sala de aula de 40 para 45. Como podemos perceber os recursos repassados para essa instituição não está sendo feitos dentro dos critérios necessários.

Precisa-se então que, o governo atenha-se a esse fato e entenda a necessidade da viabilização de verbas de acordo com as propostas vigentes no PDE, para que, não só essa instituição escolar venha a beneficiar-se, mas que, todas as outras também possam através dos recursos necessários realizarem o seu trabalho como uma forma de transformação de uma sociedade mais justa e humana, acreditando que a visão da escola seja sempre manter o seu padrão de qualidade, mas para isso é necessário que as transformações comessem do poder mais alto e, assim, a ação transformadora da escola possa realmente se tornar uma realidade e passe a atender de maneira igualitária todas as metas do PDE.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home